Investimentos: um olho no futuro e outro no presente

Compartilhe


samuel_magalhaesDesde que comecei a estudar sobre investimentos -há dez anos-, escutava, de todos os especialistas no assunto, que devemos investir na Bolsa visando o longo prazo. Este seria um ótimo conselho, não fosse o fato de ser um conselho incompleto. O que os "especialistas" não me contaram -talvez por não saberem- é que colocar o tempo a seu favor é uma parte fundamental do sucesso financeiro dos grandes investidores, mas é apenas uma parte. Pensar no longo prazo irá te ajudar a obter resultados consistentes ao longo do tempo, mas para que isso se concretize, é preciso estar atento a outros fatores.

Se você pretende obter uma rentabilidade acima da média da maioria dos investidores, precisa estar atento às transformações que ocorrem -e são cada vez mais frequentes- na economia, na política e na sociedade, de uma maneira geral. São elas que vão ditar o rumo do nosso futuro e, consequentemente, o sucesso dos nossos investimentos.

A maioria dos investidores cometem dois erros básicos que inviabilizam seu sucesso financeiro. O primeiro deles é ser imediatista e, assim, não aproveitar as maravilhas que um longo horizonte temporal pode fazer pelo seu dinheiro. O segundo erro é pensar que ao investir para o longo prazo, já fizeram sua parte. Estou sendo repetitivo, sei disso! Mas o seu dinheiro merece esse alerta e o farei quantas vezes for necessário, até “a ficha cair”.

Ok, ok. Você já entendeu que é importante pensar no longo prazo, mas que isso não é tudo. O que você deveria fazer então? Ter um olho no futuro e outro no presente. O mundo está cada dia mais dinâmico. Moda, tecnologia e todos os outros aspectos da vida moderna se modificam de maneira cada vez mais acelerada. Quem seria capaz de prever há vinte anos atrás que a China iria se tornar a maior potência econômica do mundo?

Conhecer essa realidade e suas nuances irá te auxiliar na hora de responder a duas importantes perguntas: Aonde investir? Quanto dinheiro devo colocar lá? Não entendeu? Vejamos...

No ramo da tecnologia, por exemplo, mídias como o cd -que até pouco tempo eram revolucionárias- hoje já estão obsoletas. Os blue rays tomaram conta do mercado, pelo menos do mercado que restou depois dos diversos programas que possibilitaram com que baixássemos músicas e filmes sem sair de casa e sem pagar nada por isso. Isso para não citarmos a Netflix que, não bastasse ter levado a falência a maior locadora de DVDs do mundo – BlockBuster- promete dar muita dor de cabeça as operadoras de TV a cabo. Será que a Netflix irá sepultar as operadoras de TV a cabo, como fez com a Blockbuster? Será que ainda existirá TV, celular ou computador daqui a 20 anos? Só  o tempo irá responder.

Para quem não tem bola de cristal, a melhor forma de saber em que empresas deve investir para o longo prazo, é acompanhar as mudanças que ocorrem no nosso cotidiano, no curto prazo. Afinal, tão importante quanto visar horizontes temporais longos ao investir seu dinheiro, é ficar atento para as mudanças ao longo do caminho e se adaptar a elas o mais rápido possível! As pequenas empresas de hoje podem ser as grandes de amanhã. As grandes empresas de hoje podem, simplesmente, não estarem mais aqui em dez ou vinte anos. Quer seja nos investimentos, quer seja na vida, as mudanças são uma constante. Cabe a cada um de nós, adaptarmo-nos a elas. Como diria o lendário Renato Russo em uma de suas composições:  “O pra sempre, sempre acaba”!

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro e Palestrante na área de Finanças Pessoais e Investimentos. Para conhecer melhor o trabalho do autor, tirar dúvidas, fazer críticas ou dar sugestões, envie um e-mail para: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou acesse: www.invistafacil.com. Sua participação é fundamental!

Comente ()